terça-feira, 19 de agosto de 2014

Aviso

Atenção. Exclusivamente essa semana não teremos sessão do Cineclube Cinema em Transe. Mas semana que vem voltaremos com um filmaço!
Aguardem.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Cineclube

Começa hoje (12/8) o Cineclube Cinema em Transe com o filme O BEIJO AMARGO, de Samuel Fuller. Participem!


Horário: 16h
Local: Auditório C - UNISUL Pedra Branca

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Cineclube Cinema em Transe


3º Curta Brasília – Festival de Cinema de Curta-metragem

O 3º Festival Curta Brasília acontece no Cine Brasília de 27 a 30 de novembro de 2014 e conta, além da mostra competitiva local e nacional, com uma mostra competitiva de videoclipes, mostras paralelas, mostra infantil, oficinas, debates, dentre outras atividades.

Nesse ano, o Festival segue com sua dimensão internacional, mantendo a parceria com a Embaixada da França no Brasil com uma mostra exclusiva de curtas-metragens franceses e com o Prêmio Cine França Brasil (contemplando com passagem aérea para França ao representante de filme vencedor na categoria).

Os filmes selecionados concorrerão a vários prêmios e troféus. Dentre os prêmios, podemos destacar o Prêmio Direitos da Infância, oferecido pelo Instituto Sabin e UNICEF, para o filme que melhor contemple o tema.

O Festival Curta Brasília será dividido em três mostras competitivas, nas quais os filmes concorrerão ao Prêmio Curta Brasília e ao Prêmio Curta Brasil, com 5 mil reais e troféu para cada categoria - decididos pelo Júri Popular. Nesse ano, o Festival conta também com o Prêmio Melhor Videoclipe Nacional, com 2,5 mil reais e troféu, após o sucesso da Mostra de Videoclipes na edição de 2013.

Podem participar:

MOSTRA COMPETITIVA CURTA BRASÍLIA: filmes produzidos em qualquer formato e gênero, realizados a partir de janeiro de 2012, com duração máxima de 25 minutos, cujos realizadores sejam do DF ou residentes há mais de dois 02 anos.

MOSTRA COMPETITIVA CURTA BRASIL: filmes produzidos em qualquer formato e gênero, realizados a partir de janeiro de 2012, com duração máxima de 25 minutos, cujos realizadores sejam brasileiros ou residentes no país há mais de 02 anos.

MOSTRA COMPETITIVA DE VIDEOCLIPES: clipes produzidos em qualquer formato e gênero musical, realizados a partir de janeiro de 2012, cujos realizadores sejam brasileiros ou residentes no país há mais de 02 anos.

As inscrições acontecem entre 15 de julho a 15 de agosto de 2014.

O Festival Curta Brasília pretende trazer a pluralidade e a diversidade presentes nos curtas-metragens mostrando, dessa forma, o grande panorama do que está sendo pensado, produzido e registrado por meio do olhar dos cineastas da capital do Brasil e de todo o país.

A realização do Festival Curta Brasília é da Sétima Produções Culturais, que também fez a produção local de mais de 20 mostras de cinema – como o Cinefoot Tour Brasília - Festival de Cinema de Futebol 2013 e 2014, Mostra Ingmar Bergman, Mostra El Deseo: O Cinema de Almodóvar, Mostra Direitos Humanos na América do Sul, Mostra de Cinema Árabe, Mostra de Cinema Mulher em Cena, entre outras.

Site: www.curtabrasilia.com.br

1º Festival Luz de Cinema Latino-Americano

Estão abertas as inscrições para o 1º Festival Luz de Cinema Latino-Americano, que será realizado em outubro na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba.

O Luz é um festival de curta-metragens, com duas amostras concorrentes: Livre e Universitária. As inscrições vão até o dia 10 de agosto. Mais informações no site oficial do evento.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Ramayana Lira, professora de Cinema UNISUL, fala sobre lei que pretende levar o cinema brasileiro para as escolas

Trecho de uma matéria originalmente publicada no site Agencia Brasil.

Uma nova lei pretende levar o cinema brasileiro para todas as escolas. Agora, as escolas terão que exibir mensalmente pelo menos duas horas de filmes produzidos no Brasil. Para cineastas e especialistas, a exibição obrigatória vai ajudar a escoar a produção nacional, além de formar plateia. Será necessário, no entanto, cuidado na seleção dos filmes e no planejamento das aulas.

"Há pelo menos duas formas de o cinema entrar na sala de aula: uma, a mais danosa para a sociedade brasileira, quando entra como substituto do professor ou como simples dispositivo para compensar buraco na ausência do professor. A outra é o cinema como espécie de mediação para que os alunos comecem a entender o mundo. Aí está a grande potência, até mesmo política", explica a professora e pesquisadora RAMAYANA LIRA – integrante do Conselho Deliberativo da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual e professora do curso de Cinema da UNISUL.

Ramayana explica que existe uma especificidade na linguagem audiovisual, que não se trata apenas do conteúdo mostrado no filme, mas também da estética e de outros elementos. Para trabalhar as produções por completo, os professores devem ser capacitados. Segundo ela, é importante a participação dos pesquisadores em cinema nesse processo, além do Poder Público e dos próprios produtores, que terão mais um canal de divulgação das obras.

"Deve haver uma preocupação com os filmes adequados a determinadas faixas etárias, se os filmes funcionam interdisciplinarmente ou só em uma disciplina. A mesma discussão que existe para a escolha dos livros didáticos deverá ocorrer com os filmes", disse ela.

Leia a matéria na íntegra aqui.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Cinema UNISUL - Bancas de 7ª Fase

Foto: Prof. Ramayana Lira
As bancas de 7ª fase discutiram os projetos dos seguintes estudantes: ANA CAROLINA BITTENCOURT PACHER (título do projeto: NÓS E AQUELA NUA CRUA CHAMADA ANA MARIA), ANA JÚLIA BATISTA GALVAN (título do projeto: ADÁGIO), CAMILA VIEIRA DA CUNHA PRATES (título do projeto: O VOO DA BORBOLETA), LUIZ RENATOSIGOLO BARZ (título do projeto: TUBÉRCULOS), MARIANA ROZONE DE LUCA (título do projeto: FORA DE TI), MIDYÃ PAULO OLIVEIRA DE ANDRADE (Título do projeto: O BECO), OSIRIS DO CANTO MACHADO FILHO (título do projeto: NUVENS OPACAS, TEMPESTADES TRANSPARENTES), PEDRO PASSOS KARAM (título do projeto: O GUARDA-CHUVA DA MINHA MÃE) e THIAGO CEZAR GOEDERT (título do projeto: THERMOMETER) para termos de aprovação o estudante recebe o parecer dos professores da fase. A partir das conversas/leituras/construções realizadas pelos estudantes, os professores habilitam os projetos que partem para as orientações/acompanhamento de 8ª fase que prevê a realização audiovisual do que foi projetado nesta fase.

Professores presentes na banca:

Mara Salla
Maria Emília Azevedo
Daniel Izidoro
Nádia Neckel