quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Cineclube Cinema UNISUL - Lua em Sagitário

12 a 15 de janeiro de 2017 (Quinta a Domingo), às 20h.

Lua em Sagitário

Direção: Márcia Paraiso
Duração: 105 min
Ano: 2016
País: Brasil (Santa Catarina)
Gênero: Drama
Classificação etária: 14 anos

Sinopse: Uma história de amor entre dois jovens  atravessando Santa Catarina em busca de música e novas possibilidades, de Dionísio Cerqueira, oeste catarinense, a Florianópolis, eles vão encontrar em seu caminho pessoas como Elke Maravilha e Serguei. Ana é uma jovem de 17 anos que vive em uma cidade fronteiriça entre o Brasil e a Argentina. Lá, ela não tem opções de lazer e nem acesso à internet. Seu único refúgio é visitar um sebo/lanhouse conhecido como "A Caverna". É lá que, certo dia, ela acaba conhecendo Murilo, rapaz por quem vai se apaixonar perdidamente.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Cineclube Cinema UNISUL - Edith Piaf - Um hino ao amor

6 e 8 de janeiro de 2017 (Sexta e Domingo), às 20h.

Edith Piaf - Um hino ao amor

Direção: Olivier Dahan
Duração: 140 min
Ano: 2007
País: França
Gênero: Biografia, Drama
Classificação etária: 14 anos

Sinopse: Biografia da grande cantora francesa Edith Piaf. Abandonada pela mãe, ela foi criada pela avó em um bordel. Enfrenta a cegueira na infância, milagrosamente curada. O reencontro com o pai é outro capítulo triste em sua vida. É descoberta enquanto cantava numa esquina com 19 anos. Apesar do sucesso que viria, a vida de Piaf estava cheia de tragédia.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Cineclube Cinema UNISUL - Violeta foi para o céu

5 e 7 de janeiro de 2017 (Quinta e Sábado), às 20h.

Violeta foi para o céu

Direção: Andres Wood
Duração: 110 min
Ano: 2012
País: Chile
Gênero: Biografia, Drama
Classificação etária: 14 anos

Sinopse: O filme conta a trajetória da compositora, artista e cantora chilena Violeta Parra. Esta biografia não segue uma linha cronológica, focando-se em diversos momentos da vida de Violeta, como sua infância na província de Ñuble, sua viagem pelo interior do Chile, as visitas à França e à Polônia, além do romance que ela teve com o suíço Gilbert Favre. O filme é inteiramente intercalado com trechos de uma entrevista que Violeta Parra deu à televisão em 1962.